Você está em:

Seu Futuro

Fases de um plano de previdência complementar aberta

Um plano de previdência complementar aberta tem duas fases: a de acumulação de recursos e a de recebimento dos valores contratados.

Fase de Acumulação

É a fase em que você contribui para formar uma reserva. Ao começar a planejar seu futuro, é importante que o seu plano de previdência reflita o seu perfil financeiro atual, seus projetos de vida e seu desejo de proteger-se para garantir um futuro tranquilo.

Passo 1: Escolha um plano de acordo com o modelo que você utiliza para fazer sua declaração de Imposto de Renda. Veja:

PGBL

É a modalidade de plano de previdência para quem quer organizar sua vida financeira e garantir um futuro tranquilo, usufruindo do incentivo fiscal, que permite deduzir as contribuições feitas ao plano em até 12% da sua renda bruta anual tributável. Por isso, é indicado para quem declara o Imposto de Renda pelo formulário completo e contribui para a Previdência Social ou regime próprio.

VGBL

É a modalidade de plano de previdência para quem quer organizar sua vida financeira e garantir um futuro tranquilo, sem utilizar o incentivo fiscal. Indicado para quem é isento ou faz declaração simplificada de IR ou, então, já aplicou até o limite de 12% de sua renda em um plano PGBL e deseja investir mais em Previdência.

Passo 2: Escolha o regime de tributação do plano entre as opções Regressivo e Progressivo, dependendo, de preferência, do tempo que você deixará os recursos aplicados. Veja:

  • Regime Progressivo (Antecipado)
    Nesse regime, a alíquota de Imposto de Renda na fonte é de 15% no momento do resgate, de acordo com a modalidade escolhida, com posterior ajuste na declaração anual de IR. No recebimento de renda, a incidência de IR ocorre conforme a Tabela Progressiva do Imposto de Renda. O regime é mais indicado para quem não pretende deixar seus recursos aplicados no longo prazo.
  • Regime Regressivo (Definitivo)
    Nesse regime, as alíquotas de Imposto de Renda diminuem com o tempo, começando em 35% até chegar a 10%. Tanto no resgate quanto no recebimento de renda, a tributação ocorre na fonte, sem a necessidade de ajustes na declaração de Imposto de Renda. Mais indicado para quem pretende deixar seus recursos aplicados a longo prazo, pois a alíquota de Imposto de Renda leva em consideração o tempo de permanência no plano. Confira:

Passo 3: Escolha em qual tipo de fundo de investimento os recursos serão aplicados de acordo com o seu perfil de investidor: conservador, moderado ou mais arrojado.  Veja:

  • Fundo conservador: indicado para quem prefere uma aplicação de baixo risco, pois os recursos são aplicados em renda fixa.
  • Fundo moderado: indicado para quem não se importa em correr algum risco. Possibilita ganhos maiores a longo prazo, pois até 20% dos recursos são aplicados em renda variável.
  • Fundo agressivo: indicado para quem está disposto a correr riscos. Possibilita ganhos maiores a longo prazo, pois até 49% dos recursos são aplicados em renda variável. 

Opções de coberturas de Proteção familiar

No plano de previdência complementar, além de planejar seu futuro, você pode ainda agregar ao seu plano coberturas de proteção para a sua família:

Pensão aos Menores

  • Renda mensal paga ao beneficiário (filho, dependente ou beneficiário indicado até completar 21 anos de idade) em caso de falecimento do titular do plano durante o período de contribuição.

Pensão por Prazo Certo

  • Renda mensal por um prazo determinado (de 5 a 35 anos) paga ao beneficiário indicado em caso de falecimento do titular do plano.

Pensão ao Cônjuge ou Companheiro

  • Renda mensal vitalícia paga ao cônjuge ou companheira(o) indicada(o), caso haja o falecimento do titular do plano.

Pecúlio por Morte

  • Importância paga de uma única vez ao(s) beneficiário(s) indicado(s) no plano, caso o titular do plano venha a falecer durante o período de contribuição.

Renda por Invalidez

  • Renda mensal vitalícia paga ao titular do plano, se for comprovada sua invalidez total e permanente, durante o período de contribuição.

Fase de recebimento da renda

Esta é a fase mais aguardada de um plano de previdência complementar. Até este momento, você terá acumulado e rentabilizado seus recursos. Nesta etapa, terá que escolher como e quando vai querer receber o investimento feito no seu plano.

Passo 1: Confira o saldo da sua reserva de Previdência pelo menos dois meses antes do início da fase de recebimento, indicado no Regulamento do plano que você contratou.

Passo 2: Escolha como e quando quer receber o benefício da sua previdência.

São diversas opções:

  • Você poderá optar por converter o saldo da sua reserva em um tipo de renda, entre as opções disponibilizadas em seu plano. O tipo de renda escolhida nesse momento valerá durante todo o período de pagamento do benefício.
  • Pode optar por resgatar os recursos retirando-os de uma única vez ou em parcelas periódicas. No caso de retiradas em parcelas, você deverá solicitar o adiamento da data prevista para o início do pagamento do benefício, de modo que o plano continue ativo durante o tempo desses resgates parciais. A data de início do pagamento do benefício pode ser alterada a qualquer momento.
  • Pode optar por alterar a data de início de recebimento do saldo de reserva e continuar contribuindo para o plano. Se preferir, pode até suspender suas contribuições temporária ou definitivamente. Seu dinheiro vai continuar rentabilizando nos fundos de investimento escolhidos de acordo com seu perfil de investidor. Esse adiamento, ou até uma antecipação, pode ocorrer sempre que você quiser.

Enfim, a escolha é sua!

Opções de renda

Ao decidir por receber o saldo de reserva sob a forma de uma renda, é importante que você saiba que essa renda será o resultado da conversão do saldo acumulado em pagamentos mensais a serem feitos pelo período que você escolher. Veja:

  • Pagamento de uma única vez: é o pagamento do valor total do saldo de reserva.
  • Renda mensal vitalícia: é o pagamento mensal de um valor pré-determinado por toda a vida.
  • Renda mensal temporária: é o pagamento mensal de um valor predeterminado por um período escolhido pelo cliente na contratação do plano ou no momento de escolha da sua renda, no período de 5 a 15 anos. O pagamento deste tipo de renda cessa no término do prazo estipulado ou, antes disso, caso o participante venha a falecer antes de transcorrido o tempo definido para pagamento da renda.
  • Renda vitalícia com prazo mínimo garantido: é o pagamento de uma renda mensal por toda a vida, com garantia de um prazo mínimo para recebimento. Este prazo quem escolhe é o participante, no período de 5 a 15 anos, no momento da contratação do plano ou pouco antes da data prevista para início de recebimento da renda.
  • Renda vitalícia reversível ao cônjuge/companheiro(a): é o pagamento de uma renda mensal por toda a vida, que, após o falecimento do participante, continua a ser paga ao seu cônjuge por toda a vida dele.
  • Renda vitalícia reversível ao cônjuge/companheiro(a) com continuidade aos menores: é o pagamento de uma renda mensal por toda a vida, que, após falecimento do participante, continua a ser paga ao seu cônjuge e, em caso de falecimento deste, é revertida aos filhos menores.
  • Renda mensal por prazo certo: é o pagamento de uma renda mensal por um tempo definido, no período de 5 a 15 anos, pelo participante no momento da contratação ou no momento da decisão sobre a forma de recebimento dos recursos do seu plano. Ao contrário da renda temporária, ainda que o participante venha a falecer antes de cumprido o prazo estipulado para pagamento do benefício, esta renda continua sendo paga aos beneficiários até que termine o prazo escolhido pelo participante.

Importante: a renda escolhida pelo participante será tributada conforme legislação vigente na ocasião. Após o início do pagamento do benefício com base na sua escolha,  o pagamento da renda será iniciado e essa decisão não poderá mais ser alterada.

Subir_pt_BR

  • ZURICH SANTADER BRASIL SEGUROS E PREVIDENCIAS